quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Não estamos preparados pra tudo na vida.
Aliás, não estamos preparados pra quase nada.
A.K.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Tracei a ponte entre a razão e a loucura.
A.K.


Guria, lhe soa como cruel demais o fato da sua dor paralisar somente a ti.
Pois o mundo ao seu redor não compadeceu de seu sofrimento.
A.K.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

sábado, 26 de novembro de 2011

Se tratando de amor, o fator determinante passa a ser a 'sorte'.
A.K.
E aos poucos fomos nos afastando.
As coisas foram acontecendo de forma tão natural, que acredito que passara de forma quase que imperceptível aos nossos olhos.
Também pudera, a vida anda tão corrida.
Talvez esse tenha sido o motivo principal.
Mas não procuremos culpados.
Quando dei por mim, as coisas já não eram mais as mesmas.
Nós não éramos mais os mesmos.
Ambos haviam mudado; nisso ambos concordavam.
Você sempre tão sonhador(a).
Sonhos tão grandes, capazes de fazê-lo(a) voar.
Possui um desejo enorme de abraçar o mundo, ao mesmo tempo torna-se incapaz de abraçar a si mesmo(a).
Eu, sempre realista.
A precisão com que enxergo a realidade corta em mim as mesmas asas que lhe impulsionam grande vôo.
Dois caminhos. Duas direções.
A.K.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Tem pessoas que querem abraçar o mundo.
No entanto, sequer conseguem abraçar a si próprio.
A.K.
Às vezes, cometemos atos impensados.
Medidas extremadas.
Simples sinais de nosso desespero.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Eu posso ser meu mais fiel aliado ou o mais temível dos inimigos.
A.K.



A gente tem mania de persistir naquilo que nos machuca.
A.K.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

A gente corre o sério risco de ficar teorizando sobre a vida.
Re(criar), Re(inventar)
Forma, Fórmulas.
E sequer levantar-se da cadeira.
A.K.
Há o desejo de viver.
Há o medo de sofrer.
A gente não vive.
A vida passa.
Nos sobra apenas o desejo que o medo sufocou.
A.K.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Caminhei mesmo sem entender e compreender coisa alguma.
Continuo no mesmo estágio.
Ontem: pensava que se tratava de loucura.
Hoje: percebo que essa loucura se transfigura na fé.
Amanhã: quando chegar tomará a devida forma que lhe compete.
A.K.

domingo, 23 de outubro de 2011

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Devemos ter o real cuidado pra que nossos discursos não contrariem nossa prática.
A.K.


De um jeito ou de outro, mas a gente aprende a se armar e se defender.
A.K.
Há pessoas.
Há PESSOAS.
(.) ponto!
A.K.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

E temos anseios tão grandes, que fogem da nossa compreensão, visto que nossa condição de humanos, nos torna seres limitados.
A.K.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Embora eu não saiba compreender o que quero, uma coisa é certa: em mim aumenta cada vez mais o anseio por aquilo que é totalmente livre e desprovido de vazio de sentido. Como toda busca, é fundamental que seja empreendida, mesmo não se sabendo ao certo onde terminará essa jornada. Mas acredito que é assim que se formam as certezas, antes é necessário que estas ultrapassem o estágio da incerteza.
A.K.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Sob hipótese alguma me sinto em estado de obrigar-me a estar com alguém, seja por compaixão ou outro motivo qualquer.
Se tem algo que prezo, é sentimento.
E é justamente esse que me inclina e me impulsiona à alguém.
A.K.
A gente só tem medo daquilo em que acredita.
A.K.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Quando pensamos em mudança -mudança no sentido de postura-, temos a falsa ilusão de que as coisas acontecem de forma instantânea, ou seja, hoje ao deitar pra dormir tenho uma postura e amanhã, como passe de mágica, acordarei completamente transformada. Nos esquecemos que todo processo de mudança requer tempo e paciência. Tempo e paciência para consigo mesmo.
Tudo se baseia na ausência de cobranças. Aceite você assim exatamente como és, pois és único e sendo único se torna um ser singular.
Um dia quando do nada, olhardes para trás e perceberes que as coisas aconteceram de uma forma tão natural, que para você passou quase que imperceptível, aceite-se.
Todo processo de mudança requer aceitação.
A.K.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

E a admiração consistia simplesmente por percebê-lo diferente em meio de tantas igualdades.
E era isso o bonito de se ver e mais ainda, gostoso de sentir.
Era algo sem cobrança e não requeria mais nada.
A admiração bastava por si só.
A.K.

domingo, 25 de setembro de 2011

A aversão ao amor, sentimento tão nobre, talvez se trate unicamente ao medo de se entregar e assumir-se: sim, eu não sou auto-suficiente.
A.K.

domingo, 18 de setembro de 2011

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Que o seu afastamento não me deixe com espaço suficiente pra que eu me perca de você. Assim sendo, não terei nem motivo, nem vontade para perfazer o caminho de volta.
A.K.
Bancar o forte pra que?
Se no fundo, somos todos crianças querendo colo.
A.K.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A minha vida inteira as coisas sempre aconteceram numa mesma constância. Eu sempre tive que ter em mente que tudo seria desfeito em um curto espaço de tempo. Em regra geral, era assim que as coisas aconteciam: os amores nunca se eternizavam; os laços de amizade se dissipavam no espaço do tempo.
A.K.
Certa vez, no meu caminhar, nas desventuras da vida, conheci a verdadeira essencia do ser um homem de verdade. Ironico ou não, ele era gay.
A.K.
Doeu, quando forçadamente fui obrigada a me afastar de você; mas sobrevivi.
A.K.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

sábado, 10 de setembro de 2011

terça-feira, 6 de setembro de 2011

És bela e doce.
És flor que alegra o meu jardim.
A.K.
Durante o dia eu me esqueço de mim, me esqueço de você.
À noite, tua dor tornas minha dor.
Nessa história, eu e você, somos sujeito passivo.
A.K.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Fiz tudo certo o tempo todo. Errei quando coloquei sentimento.
A.K.


Pensei em Você. Idealizei Nós.
A.K.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

E o que fica é essa sensação de coisa mal acabada; de que poderia ter feito mais e no entanto, não o fiz.
A.K.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

E eu que sempre me julguei infeliz e achando que todos os dias são dias desleais. Hoje te escutando, lhe olhando mas incapaz de lhe olhar nos olhos. Talvez pq seu sofrimento é tão real e pra você sim, a vida se faz fria e cruel despida. Todos os dias são realmente desleais. Mas me pergunto, como pode alguém ser tão dependente do outro. Como pode alguém ficar sem opção, sem alternativas que a levem a um porto seguro.
Realmente, a vida é coisa séria. Muito embora, tudo as vezes pareça injusto e cruel, uma escolha errada, uma única escolha mal pensada ressoa por toda 'eternidade'. É muita responsabilidade você ser autor de sua própria vida. É angustiante você ter consciência que tudo depende exclusivamente de suas opções e isso lhe direciona o rumo que a sua vida toma. Ao que me consta parece muito injusto e sofredor você ter uma única chance pra acertar e um tempo muito curto pra se manter firme no acerto. Ao que parace é que na vida não se admite erros. Você é obrigado a escolher e ao mesmo tempo se faz obrigado a acertar...
A gente tem que entender que na "vida enquanto uns nascem pra sofrer, outros riem."
Como sendo eu, autor próprio dos caminho que seguirei, sinto tanto em não poder fazer nada por você, pois você também se torna autor de seus próprios caminhos trilhados.
Garota, embora, a muito tempo eu tenha desaprendido o que é sentir, seu sofrimento me incomoda. Seu sofrimento me angustia.
Você está tão próxima e ao mesmo tempo se faz tão distante, pois é impossível que eu a alcance.
A.K.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Não é pouca coisa que me satisfaz.
A.K.


Às vezes nos perguntamos se é exatamente isso que a vida tem a nos oferecer...
Nos sonhos de infância não era assim que eu idealizava que as coisas aconteceriam.
A.K.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

E chega um momento que realmente você começa a necessitar de novas drogas.

A.K.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

" Em seu interior havia tanto barulho e tanta desordem que as notas não mais se reconheciam."

A.K.
"Acho que tenho a errônea sensação de que mãe não cansa justamente por ser adepta da ideia de que elas deveriam por lei, ser eternas."



" Às vezes com mais, as vezes com menos frequência, mas a gente não deixa de pensar que não vai conseguir."



" As vezes eu me pergunto se as fantasias e os sonhos de crianças sempre tem de morrer com a realidade de se tornar adulto!?"

A.K.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Por vezes me paro a pensar no passado; um passado nem tão distante assim, mas ao mesmo tempo parece que já se passaram tanto tempo, tantos anos.
Talvez essa sensação se resume a saudade.
É isso que sinto quando penso em você.
Saudade de um tempo que passou; saudade de um tempo que não mais voltará.
Mas também lembro que essa saudade se explica ao amor que tenho por você. Vai ver é por isso que dói tanto.
A.K.



E por trás de um sorriso, há tantos segredos escondidos.
A.K.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Escrevo pq me faz bem. Há plena liberdade com as palavras.
Se os escritos representam o que há em mim, então eles representam o que é estranho ao meu ser e supostamente desconhecido desta, que vos escreve.
A.K.

sábado, 7 de maio de 2011

"Eu me filtro demais, assim sendo, não sou eu. Apenas represento um personagem socialmente aceito."



"Há algo errado no contexto de minha existência: os meus são para mim, meros desconhecidos."


"Sou um mero viajante que vaga perdido, pelos caminhos incertos que eu mesmo trilhei.
Sou um viajante errante que segue seu caminho; embora, este, seja sempre desconhecido.
Sou errante e vou errando."
A.K.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Talvez seja necessário se perder como eu me perdi.
Isso não pressupõe que eu já tenha me encontrado.
Se é que algum dia eu tive o controle sobre algo; sobre mim. Certamente, não. Não tive. Meu receio é que nunca o tenha.
Se por instantes cheguei a pensar que mantinha o controle sobre algo, no momento seguinte o perdi. A brisa leve ia me tocando e por terra, fora caindo tudo que julguei dominar ou ao menos, conhecer.
Hoje não sei o que me satisfaz. Embora, tanto faz não satisfaça o que eu preciso. Eu sequer sei o que preciso.
Desse modo, ‘sai na vida a busca de aventuras’ e tudo se construiu de modo tão superficial. Hoje, o superficial me incomoda. Não que antes não incomodasse, mas acontece que, se tratava de uma busca incessante pela tal felicidade; não importava qual caminho seguir, se tratava de uma busca desesperada e que esperar supostamente teria me custado um preço mais alto. Se a felicidade é algo a ser alcançado, confesso que, não sei o caminho a percorrer. Mas sentimentos não podem ser palpáveis. Talvez, seria uma busca pelo desconhecido. Talvez, no fundo, se trata de uma busca por mim. Me encontrar e me encontrando eu encontro o caminho.
A.K.

domingo, 1 de maio de 2011

" Afinal, o que é essa tal felicidade?
Como palavras seriam capazes de descrever o desconhecido?, e mesmo se conhecida fosse, como descrever-te?
Quem te definiu e a nomeou?
O que é você? És sentimento e pois então, se torna passageira? Ou és concretude e só poucos a alcança?
Aliás, és real?, muitos acreditam que és fantasia.
...Afinal, quem és você? O que é você?"
A.K.

sábado, 30 de abril de 2011

" Literalmente: a vida é feita de escolhas; são essas mesmas escolhas que lhe direcionarão o caminho a seguir e principalmente onde você irá chegar. Por mais que se pretenda viver segundo 'deixa a vida me levar', a vida vai passar e você não chegará a lugar algum. Isso é apenas um modo para evitar o 'ter que fazer escolhas'. Por mais q se adie, sempre chega um momento em que você tem que optar e escolher. Embora o meio-termo seja sempre preferível, não se consegue seguir ao mesmo tempo por dois ou três caminhos. Nessa hora a famosa frase se encaixa perfeitamente: 'E agora, José?'"
A.K.
Engraçado como passamos a vida correndo. Preocupações demais. Mágoas demais. Receio demais. Tudo em grande intensidade. De modo oposto, amamos menos. Escutamos menos. Nós nos doamos menos.
Geralmente estamos muito preocupados com apenas o ‘eu’. Tem que ser assim, porque ‘eu’ quero. Primeiro ‘eu’.
O que não nos preocupamos, ou melhor, nos esquecemos é que tudo finda. Com a vida não é diferente. Ninguém sabe quando. O dia. A hora. Como. Por que. Mas esse dia chega. E assim passamos a vida inteira na correria, gastando nosso tempo como se ele fosse eterno.
O ser humano é mesmo contraditório e auto-destrutivo por natureza.
A.K.
"Necessito de urgências."


‎"Insisto em insistir no que não me satisfaz."


" Oscilando constantemente de um extremo ao outro."

"Eu lhe faço um poema.
Só não lhe prometo amor eterno."

"O ser humano é mesmo contraditório e auto-destrutivo por natureza."


" A sensatez e ausência da mesma, se misturam, ambas, numa mesma profusão de intensidade."

" O convencional é tão banal."

A.K.
Ando meio com os sentimentos aflorados.
Eu que nunca fui de me apegar à sensações.
Ando oscilando com tanta frequência.
Se algum dia tive controle sobre mim, o perdi de vez."
A.K.
A mente anda fraca.
O corpo padece.
Ando vulnerável a doenças; à incertezas.
Ando vulnerável até mesmo ao amor.
A.K
A minha sanidade se faz completamente presente nos momentos que os 'normais' costumam conceituar como insanos.
E daí, são eles que são os normais.
A.K.
Triste não é quem não se permite chorar;
Triste é quem se permite e não consegue.
A.K.
Nem a certeza de que vivo, tenho.
Pq muito embora os olhos estejam abertos e a respiração nos conformes.
Viver não se resume a isso.
A.K.
É como uma sensação que não me pertence.
É como uma mistura de várias sensações que trazem vários sentimentos que não se denominam.
Meu bem meu mal.
É isso que você me desperta.
Tentar classificar seria perda de tempo. Sou incapaz disso.
A.K.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

" Há um bocado de mim em cada pessoa que encontrei; em cada lugar que supostamente percorri. Esses 'eus' fragmentados lutam e relutam para se encontrarem e firmarem num mesmo 'eu', visto que, se torna impossível, pois são muitos 'eus' contraditórios buscando um mesmo espaço físicamente limitado. Por isso transbordo sempre em excessos."
(A.K)

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Uma vida construída em incertezas.
Hoje mais do que nunca, não sei se um vazio, não sei se sensação de culpa ou simplesmente o receio de não ser o que eu realmente não sou. Mas hoje, em especial, o dia está mais nublado e isso não ocorre simplesmente pela chuva e o frio lá fora.
Em mim, está tudo nublado. Há uma sensação tão grande de estagnação e confesso, uma forte sensação, que talvez seja mais real do que uma simples sensação.
Olho ao meu lado e não vejo saídas.
Olho ao meu lado e vejo sempre a mesma coisa.
Olho pra mim e percebo o quanto posso decepcionar os que estão próximos, os que quero tão bem. Pior, o quanto, talvez, eu possa decepcionar comigo mesma.
Nunca busquei a perfeição.
Nunca quis passar algo que eu não fosse, embora, talvez, por silenciar, eu tenha passado essa ideia distorcida, do meu verdadeiro eu. Talvez medo, talvez o indesejo, de não querer falar tanto.
O pior de tudo, é não saber o que fazer, que caminho seguir. O pior de tudo, é essa necessidade em mim, para que existisse o meio termo. Pior ainda, é ser fraca o suficiente para tomar decisões; é ter tanto receio de magoar os que estão próximos e talvez até a mim. Mas, há muito, já não me importo com o que eu mesma pense sobre mim. Desistir por um tempo, de tanta incompreensão.
Realmente, felizes daqueles que pulam no abismo, que se mostram com coragem o suficiente para encarar o que há bem ao fundo.
A vida, há muito, talvez desde que eu nasci, se faz como uma brincadeira de mal gosto, em que se faz necessário em que sobrevivamos constantemente.
E a vida? E a vida, o que é?
A.K.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Sempre escolhas

Hoje, mais do que nunca, consigo perceber que a vida pode ser levada de dois modos.
Você pode escolher se lamentar o tempo todo e fazer com que o seu fardo se torne mais pesado do que deveria realmente ser; ou você pode resolver abrir-se para a vida e que apesar dela não ser flores o tempo todo, você está vivo e tem um motivo pra comemorar a cada noite que dorme e a cada manhã que se levanta.
É nessário que criemos bases realmente sólidas e verdadeiras para que possamos seguir em frente.
Muitas pessoas passam a vida toda apegadas em suas 'verdades' e em suas bases que julgam ser sólidas, pórem, um simples vento e uma brisa da manhã é capaz de jogar por terra todo esse construto imaginário de uma vida toda. Quando isso acontece, se você não aceita que todos os seus 'construtos' devam ser substituídos, a queda é imensamente dolorosa.
Por sermos imensamente fracos, procuramos nos agarrar em qualquer possível fonte que pareça segura. Quando isso acontece, você se torna vulnerável e alvo frágil que pode ser manipulado por qualquer pessoa.
Acho que tudo que passamos na vida é de algum modo um ensinamento.
Por mais que na maioria das vezes os nossos olhos estejam fechados e não enxerguem que cada lição é aprendizagem, a partir do momento em que adquirimos essa sensibilidade...
Aí, a vida passa a ter outro sentido.
A.K.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

As pessoas se acostumam tanto com a vida e o modo como a levam. Isso chama-se comodismo. Talvez ocasionado, justamente pelo medo ou receio de mudanças.
Assim, vamos levando a vida, deixando com que a maré nos leve a um porto seguro.
hoje percebo, que poderíamos passar a vida inteira, completamente vazia e esse vazio me consumia e de certo modo me deixava segura, visto que, estava eu sob controle do que me acontecia; porém, me esquecia que já havia perdido o controle a muito tempo. Comodismo, não é segurança. Isso chama-se covardia.
Medo ou receio de sair dessa bolha que muitas vezes julgamos seguro? Não sei se é exatamente isso. Na verdade não sei de nada, quando muitas vezes julguei saber alguma coisa e entender/compreender sempre o que fugia do meu alcance.
Implicitamente pretensiosa.
Confesso, não sei ao certo o que me fez enxergar tudo isso que sempre esteve estampado em minha frente, porém, eu fazia questão de não enxergar, ou melhor, fingir não enxergar.
Em especial, hoje, estou decididamente pronta a deixar todos os disfarces caírem.
Resolvi me permitir a ser um pouco mais leve e dá o devido peso ao fardo que eu/todos nós carregamos. Nada mais nada menos, o peso devido.
Devemos estarmos aptos a mudanças e mudarmos por nós, não para agradarmos alguém.
Mas devemos nos permitir sempre.
Como todo ser humano, sou um bocado contraditória e mais ainda indecisa. Mas a partir do momento que eu me permito, as coisas podem acontecer.
Acho que o certo é isso mesmo, nos permitirmos sempre!
A.K.